OSEEC BRASIL

ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESTÍMULO A EDUCAÇÃO E CULTURA NO BRASIL

PROJETO CORDAS QUE RESTARAM

O Projeto ‘Cordas que Restaram’ foi criado em 2017 para pessoas da comunidade. Por meio dele, a Oseec entra nas escolas públicas com uma breve palestra, seguida de uma apresentação orquestral comandada pelo Maestro Michel Lima, de modo a proporcionar aos adolescentes da periferia uma oportunidade de conhecer os instrumentos clássicos.

O projeto recebeu esse nome em homenagem ao violinista Itzack Perlman, vítima de uma doença chamada pólio, que andava com o auxílio de muletas devido à sua atrofia nas pernas. Conta-se que em um determinado concerto ao afinar as cordas de seu violino, uma delas se partiu e, ao invés de atrasar o início do espetáculo pedindo uma nova corda, ele tranqüilamente e fez uma apresentação belíssima.

UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL

Ao ser questionado por repórteres, ele respondeu ‘o grande desafio da vida é fazer música com as cordas que restaram’, fazendo alusão a sua vitória sobre as dificuldades impostas pelas sequelas da doença. É essa mensagem que queremos passar para os estudantes das nossas favelas, de que o grande desafio da vida é, diante das difíceis

NOSSA ORQUESTRA E PALESTRANTES

MAIS DO NOSSO PROJETO:

As escolas públicas da Zona Leste e Alto Tietê recebem o projeto “Cordas que Restaram”  com uma empolgação contagiante.  Os alunos com faixa etária entre 15 e 17 anos se encantam com a proposta contemporânea da musica clássica. Este é mais um projeto musical da Oseec que consiste em uma belíssima apresentação orquestral nas escolas públicas.

CEI EFRAIM, EM ERMELINO MATARAZZO/SP

NOSSO OBJETIVO

O grande objetivo do Projeto “Cordas que Restaram” da Oseec é mudar a estatística da ONU que diz que o jovem nascido na periferia viverá até seus 24 anos de idade sendo a educação e cultura o caminho para a transformação. A instituição é a oportunidade para que  esses jovens possam expandir a sua visão de mundo, um resgate aos seus sonhos. 

CUSTO X BENEFÍCIO

A ONG oferece o seu serviço com cunho social de forma gratuita, e ainda permite que terceiros possam potencializar a extensão deles através da solidariedade. Os jovens que participam do projeto como alunos dedicam uma parte dos seus dias às aulas, sendo esse o maior sacrifício que possam fazer, de forma a não estarem nas ruas cercados de más influências, a possibilidade de reverter um futuro pré-definido aos que crescem nas periferias é alta, assim como conhecimentos amplificação dos conhecimentos  culturais quando se é trabalhada a música clássica, Esses jovens irão chegar ao final do projeto com outra perspectiva em seu consciente e sem dúvida, com a vontade de ir além da periferia e porque não, transformá-la. A mudança do rumo desses jovens se inicia do aprendizado

DISPONIBILIDADE

A principal forma de se conhecer o projeto é resindindo nas proximidades,    após, pelo ambiente virtual. 

NOSSO DIFERENCIAL

O projeto ” Cordas que Restaram”  se  difere dos demais através do ensino da música clássica voltada para os jovens da periferia, trazendo uma oportunidade única para que ampliem os seus conhecimentos culturais, sendo estas aulas ministradas de forma gratuita